14 de mar de 2011

Entender, entender, entender. Necessidade virginiana racional que briga com o meu lado pisciano e artístico emocinal. Por que eu tinha que ter os dois pólos astrológicos opostos dentro de mim? Porque não seria eu, de fato!
Pelo menos, depois de 2 anos e pouco(mentira!são questões da vida inteira) eu entendo o porque eu sou artista, o porque eu era bailarina, o porque eu faço Teatro e o porque a arte está dentro de mim. São tantos "porques" que eu estou levando um tempão pra digeri-los e não acabar com a Nina de "Black Swan" (aliás, eu irei passar um BOM tempo repetindo em alto e bom tom que este é o filme da minha vida, que eu nunca me emocionei tanto).
Aí vai mais de 1 ano e meio pra digerir que existem vários tipos de amor, e um deles que meus amigos tentam me explicar que me confunde com aquele amor incondicional hollywoodiano e que não é ele. E agora? Como falar e explicar tudo isso pra alguém que não consegue ler meus pensamentos? Que não vive no meu mundo?