14 de mar de 2011

Entender, entender, entender. Necessidade virginiana racional que briga com o meu lado pisciano e artístico emocinal. Por que eu tinha que ter os dois pólos astrológicos opostos dentro de mim? Porque não seria eu, de fato!
Pelo menos, depois de 2 anos e pouco(mentira!são questões da vida inteira) eu entendo o porque eu sou artista, o porque eu era bailarina, o porque eu faço Teatro e o porque a arte está dentro de mim. São tantos "porques" que eu estou levando um tempão pra digeri-los e não acabar com a Nina de "Black Swan" (aliás, eu irei passar um BOM tempo repetindo em alto e bom tom que este é o filme da minha vida, que eu nunca me emocionei tanto).
Aí vai mais de 1 ano e meio pra digerir que existem vários tipos de amor, e um deles que meus amigos tentam me explicar que me confunde com aquele amor incondicional hollywoodiano e que não é ele. E agora? Como falar e explicar tudo isso pra alguém que não consegue ler meus pensamentos? Que não vive no meu mundo?

16 de fev de 2011

Vá com Deus.

É duro aceitar que você não vai olhar pra mim de novo. É duro não, é triste. Por que? Só cansei de gastar minhas energias mirabolando planos pra você me olhar e me desejar. E pior, fiquei tentando todo esse tempo acreditar que um dia você me olhou e me desejou. Mas seu destino é ela e ela não sou eu. Volta pra ela, como sempre, mas dessa vez por mim e com a proteção divina. Eu fico aqui procurando outros corpos, outras paixões, enlouquecendo, até o dia que seu nome não me traga nada além de indiferença.

1 de fev de 2011

Sopro.

Você é a chama semi-acesa, aquela que não ilumina meus pensamentos mas também não me deixa imersa na escuridão da solidão. Apenas na penumbra. E pior quando vem aquele vento e a apaga, eu me desespero. Rezo pra voltar no tempo e nunca ter deixado isso acontecer. 
Mas a mágica acontece e ela renasce. Volta um pequeno chamuscado com a minha alegria, como aquelas velas de aniversário que sempre quando a gente tem certeza que apagou a chama, ela reacende como um passe de mágica. 
Aí eu faço de tudo para que nenhum sopro de vento a extermine novamente. Assim, ela me queima. E a cicatriz nos meus dedos insiste em não sair, assim como a chama insiste em não ir embora.
Ah se eu tivesse mais tempo! Se eu tivesse tido mais um dia, eu teria conseguido pegar aquele fósforo e deixar a minha chama acesa. Não semi-acesa. De uma maneira linda.
Mas, eu não tive.
Ou, não percebi que tive.

Inspirado no filme:

29 de jan de 2011

MCR

Já fazem uns dois meses que a minha banda predileta MY CHEMICAL ROMANCE lançou o novo Cd deles o "Danger Days: The True Lives of the Fabulous Killjoys" . Quem quiser ouvir o cd clique aqui. Eu não comprei ainda o cd mas já quase o decorei porque escuto todo dia na internet e vou comprá-lo o quanto antes porque essa banda é a minha predileta desde os meus 14 anos, sabe aquela coisa de adolescente? É tão gostoso, eu me sinto tão bem ouvindo My Chemical Romance, fico histérica, lembro do show de 18/02/2008, faz um tempinho mas era tão bom! É, muito bom! Eu adoro demais tudo neles e não vou declarar publicamente mas algumas bandinhas que estão "bombando" agora é cópia do MCR, o que me irrita, me dá vontade de socar a banda e os fãs. Mas, tudo bem. Sou do bem, não vou fazer isso, só vou continuar ouvindo minha banda e prestigiá-los sempre. Mesmo odiando esses fãs modinhas, não curtindo muito o novo cabelo do Gerard e ter de ouvir a minha irmã (um dia escrevo um post especial sobre ela) cantando as músicas errados e adorando eles. 
Tá, enfim, eu já declarei o meu amor eterno pela banda e agora estou feliz. beijos gente!



22 de jan de 2011

Ponto.

Cada um tem o seu ponto fraco (alguns tem todos) e o grande problema é aprender a viver com isso. Sabe? Eu entendo perfeitamente quando Aquiles foi atingido em seu calcanhar, ou quando cortaram os cabelos de Sansão. Na verdade, eu acredito que esses mitos foram feitos pra gente não perder a fé. E, que tanto Aquiles, quanto Sansão quando foram atingidos, não foram atingidos de fato. Aquele pedaço do corpo de ambos, representava a dignidade deles e quando um homem perde sua dignidade, ele perece.
Eu entendi isso essa semana quando meu(s) ponto(s) fraco(s) (re)surgiram e de fato, foi algo tão simples que me deixou péssima. Vou dividir meu ponto fraco porque eu sou forte (mentira) e pra provar que não só figuras mitológicas perderam alguma coisa. 
Quando eu era criança, eu cai da escada do prédio em que morava. Não, não pensem que eu era uma dessas crianças atentadas que não fica 1 segundo quieta. Muito pelo contrário, eu era quieta, muito quieta e almejava ser bailarina. Aí, eu tinha uma apresentação e estava atrasada (pra variar, já que minha mãe e minha vó simplesmente ignoram as convenções impostas de horários).
Aí, eu sai correndo descendo as escadas com uma mala (atores, bailarinos entendem que tipo de mala eu digo, não é mesmo) e o meu vestido, adivinhem? Sim, eu cai de cara e quebrei meus DOIS dentes da frente, faltando pouquíssimo tempo para apresentação. Eu me apresentei, aos 8 anos de idade sem sorrir, com a boca inchada e com uma mãe aos prantos na platéia. 
Eu sei que depois desse dia eu tenho dois pontos fracos: meus dentes quebrados e meus olhos. Os olhos? Como assim Juliana? Eu autorizo me perguntarem isso, mas antes, eu explico. Depois da queda descobriram 2 graus de astigmatismo em mim, além de ter de operar os olhos para abrir o canal lagrimal. já que era "fechado" de nascência. Sendo assim, aprendi a conviver em meio de oftalmoligistas, óculos, lentes de contato, dentistas,canais, e dentes réplica aos da Mônica (já que a resina me deixava dentuça).
Agora com 19 anos eu arranquei meus ciso, usei aparelho antes e coloquei facetas nos meus dentes (nos olhos eu me contento com a lente de contato mesmo). Eu fiquei tão feliz, eu não parecia mais a Mônica. Fazia um mês que eu estava com elas e eu era a mulher mais bonita e sorridente do universo. Mas, como dizem as avós "felicidade de pobre dura pouco", eu diria mais, diria que dura pou-quís-si-mo.
Eu dormi uma noite, linda, com dentes escovados (higiene é bom, né?) e eu sonhei coisas estranhas, tudo bem que eu sempre sonho coisas estranhas, mas eu tinha voltado a dançar e eu acordei do nada e um dos meus dentes azarados, se azarou mais ainda. A faceta dos meus sonhos caiu e quebrou meu dente de um jeito que não tem mais jeito.
Gente, eu perdi minha dignidade ali. Eu não sabia se xingava o dia que eu cai, o dia que eu coloquei faceta, todas as gerações de todos os dentistas do mundo. Aquiles e Sansão, eu sou mulher mas eu entendo porque vocês perderam a guerra. 
Moral da historia: a coisa mais boba do mundo pra alguém, pode ser o Calcanhar de Aquiles para outro.